Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de Itaúna consegue resolver 70% das demandas que chegam à unidade

Serviço, que conta com três setores de atendimento gratuito, é eficiente e rápido

As unidades do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania – Cejusc – são especializadas no atendimento às pessoas que precisam dar fim a pendências, na orientação sobre assuntos diversos. Por meio desse serviço, problemas que poderiam ser transformados em processos longos e cansativos, contribuindo para a sobrecarga no sistema, são resolvidos com acordos rápidos e pacificadores.

Conciliadores e mediadores capacitados auxiliam os interessados, por meio do diálogo, sem a necessidade de propositura de uma ação judicial e gratuitamente. Itaúna é uma das comarcas que contam com esse mecanismo. O Cejusc funciona com três setores de atendimento. No departamento de Cidadania, é feito o primeiro contato com cidadão, que pode receber informações variadas a respeito da situação; o Processual responde pelas audiências de conciliação e mediação em casos que já estão na Justiça; enquanto o Pré-Processual orienta e marca as sessões antes da judicialização.

“O setor pré-processual é para atender a parte que ainda não tem o processo, mas tem uma demanda, um conflito para resolver como, por exemplo, o vizinho que está reclamando de uma árvore, algum acidente, cobrança de condomínio, coisas assim. Neste departamento, a parte vem aqui, nós fazemos uma carta para ela pôr no Correio para ser entregue ao reclamado. Depois, agendamos a reunião, os envolvidos comparecem, podendo ou não estar acompanhados de advogados, não há necessidade como há no processual, mas é permitido. Aqui é muito mais rápido. Buscamos resolver pela conciliação, em consenso. Hoje, temos cerca de 70% de solução dos casos no pré-processual, que pode ser utilizado por pessoa física ou jurídica”, explica a supervisora da unidade, Luciene Fernandes.

Sem custos

São exemplos de casos que podem ser solucionados nessa fase: dívidas, descumprimento de obrigações, devolução de objetos emprestados, desvio de esgoto para o terreno de terceiros, criação de animais soltos que possam prejudicar ou incomodar a vizinhança, pensão alimentícia e guarda consensual de menores, além de inadimplência de condomínio. “O Cejusc evita a sobrecarga no Judiciário, as partes não têm que comparecer a várias audiências, elimina os gastos com o processo, que são elevados. No pré-processual não são cobrados os custos. O próprio Tribunal de Justiça oferece essa assistência ao cidadão, como alternativa à judicialização. E muitos não conhecem ainda esse serviço, que gera muitos benefícios para quem não quer ou não pode contratar um advogado. A Defensoria Pública, às vezes, não consegue suprir a demanda. Então, nós tentamos resolver de forma extraprocessual”, esclarece Luciene. O Cejusc de Itaúna é coordenado pela juíza Solange Maria de Lima Oliveira. Os atendimentos são feitos no Fórum Mário Matos, das 08 às 17 horas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.