Indústria fecha setembro com saldo negativo na geração de empregos em Itaúna

 Caged aponta o setor de serviços como o responsável pelo maior número de contratações

A indústria de transformação foi o segmento que mais demitiu em Itaúna, em setembro, conforme o último relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged – do Ministério do Trabalho. O setor contratou, no período contemplado pelo levantamento, 191 trabalhadores. Porém, dispensou 203, encerrando o mês com saldo negativo de 12 vagas.

Na construção civil, foram feitas 223 admissões e 218 desligamentos. O comércio abriu apenas cinco oportunidades, uma vez que absorveu 175 pessoas, enquanto 170 perderam os empregos. A área de serviços teve melhor desempenho, com a contratação de 189 profissionais para 153 que deixaram os cargos, o que significa a criação de 36 postos.

Queda no ranking regional

Itaúna, que vinha contabilizando bons resultados na geração de empregos, no Centro-Oeste, teve uma queda expressiva no ranking regional, em setembro. A cidade criou 43 vagas com carteira assinada, no último mês, o que a colocou no quinto lugar da região. Na primeira posição ficou Nova Serrana, polo calçadista de Minas Gerais, com 530 novos postos de trabalho, um aumento em torno de 42,8% em comparação com agosto, quando também teve o melhor desempenho. Na segunda colocação, Bom Despacho, 164; terceira, Arcos, 125; quarta, Divinópolis, 120.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.