Júri Popular condena a 14 anos de reclusão acusado de crime passional no Parque do Morada Nova

Na segunda-feira, 26, foi levado diante do Júri Popular, Wakson Dias da Cunha, acusado de matar Eustáquio Ricardo dos Reis, aos 48 anos, no Morada Nova, por ciúmes. Wakson, 36, é natural de Conselheiro Pena, servente de pedreiro e ficou detido no Presídio de Itaúna até o julgamento.

De acordo com os autos, a vítima foi atraída ao Parque Ecológico Geração do Futuro, na madrugada de 08 de junho de 2017. Lá, morreu em decorrência de ferimentos feitos com instrumento cortante, em pontos vitais do corpo.

Conforme as informações do processo, Wakson estava “sob domínio de violenta emoção logo em seguida à provocação de Eustáquio”, que, segundo a hipótese apresentada, assediou a companheira do autor, momentos antes do crime. Os jurados entenderam que o réu agiu por motivação fútil e mediante meio cruel, pela utilização de garrafa, faca e pedra. A quantidade e gravidade dos golpes desferidos também foi levada em consideração, assim como o uso de recurso que impossibilitou a defesa. Wakson recebeu a sentença de 14 anos de reclusão, com o benefício de recorrer em liberdade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.