Sábado, 21 Julho 2018

Concessionária resolve pendência com a Supram e anuncia retomada da passarela em até 30 dias

Publicado em Cidade Segunda, 09 Abril 2018 17:18
Avalie este item
(0 votos)

Na edição de sábado, 31, o JORNAL S’PASSO mostrou a situação dos moradores da região do Piaguassu, que continuam a enfrentar riscos para atravessar a MG-050, entre os veículos que passam pela rodovia, porque a instalação da passarela, prometida pela concessionária, ainda não foi concluída. A maior parte da estrutura está pronta,  porém, falta a parte de acesso à Várzea, devido a algumas árvores, que não podem ser cortadas sem a autorização da Superintendência Regional de Regularização Ambiental – Supram. 

Na Secretaria Municipal de Regulação Urbana, a reportagem foi informada, por meio da Gerência de Proteção ao Meio Ambiente, que a AB Nascentes das Gerais ainda não havia formalizado, junto ao setor,  o pedido para retirada das espécies. “A empresa firmou com a Superintendência Regional de Meio Ambiente um Termo de Ajustamento de Conduta. A Supram é o órgão licenciador. Toda e qualquer supressão de vegetação tem que ser vinculada ao licenciamento ambiental da empresa. É uma questão jurídica e procedimental, portanto o município deixa de  ser o órgão autorizativo, nesses casos”, explicou um dos técnicos do departamento em Itaúna, Antônio de Moraes Lopes Júnior.

Nesta quarta-feira, 04, a empresa responsável pela manutenção da estrada entrou em contato com a reportagem, para informar que a pendência foi solucionada. Assim, conforme o cronograma apresentado, a implantação da rampa e escada da travessia elevada de pedestres será retomada em até 30 dias.   A assessoria da concessionária também ressaltou que as intervenções ficaram paralisadas em razão das restrições ambientais existentes no trecho. 

O JORNAL S’PASSO teve acesso à licença ambiental em favor da AB Nascentes das Gerais, emitida pela Supram, no mesmo dia e com validade até abril de 2028. A passarela na altura do Km 84 da MG-050 é reivindicada há aproximadamente cinco anos pelas comunidades circunvizinhas. A execução do projeto começou em fevereiro. 

Os moradores do Piaguassu, principalmente, cobram com frequência a benfeitoria, pois precisam utilizar vários serviços na Várzea da Olaria e no Padre Eustáquio, como atendimentos na área de saúde e educação.

 

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd