Sábado, 21 Julho 2018

Quase dois mil assegurados do INSS em Itaúna têm riscos de perder os benefícios

Publicado em Economia Segunda, 02 Abril 2018 11:21
Avalie este item
(0 votos)

Até o fechamento da última folha de pagamento do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS -, aproximadamente 2,4 milhões de aposentados, pensionistas e demais assegurados da Previdência não haviam comprovado que estão vivos. O procedimento é obrigatório para toda pessoa que recebe benefício e deve ser feito anualmente.

Para convocar os que não passaram pelo processo há mais de um ano, foi estipulado um prazo final, que varia de acordo com cada banco. Existem instituições financeiras que utilizam o aniversário do beneficiário; outras, a data em que foi concedida a pensão ou aposentadoria; enquanto algumas chamam para o recadastramento um mês antes do vencimento da última comprovação de vida realizada.

Quem não atende à convocação, pode ter os recursos suspensos. Portanto, quem está nessa situação, deve procurar o banco pagador o mais rápido possível para regularizar e reativar os depósitos. Sem isso, após um período, o benefício é cancelado permanentemente.

A comprovação de vida, também conhecida como renovação de senha ou, ainda, fé de vida, tem como objetivo evitar fraudes. No entanto, não são raros os casos de injustiça. Em 2017, mais de 100 mil assegurados tiveram os pagamentos suspensos/cessados, reduzindo os gastos da Previdência em cerca de R$ 1,2 bilhão.

De acordo com relatório atualizado do INSS, em Itaúna, 1.860 beneficiários ainda não fizeram a regularização. Conforme os dados, apresentados pelo Ministério do Desenvolvimento Social, também foram suspensos, na cidade, vencimentos de aposentados e afastados por invalidez. Algumas pessoas já recorreram à Justiça para tentar reverter essa situação.

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd