Sábado, 23 Junho 2018

Ministério Público Eleitoral pede cassação de três vereadores por infidelidade partidária

Publicado em Política Segunda, 11 Junho 2018 12:21
Avalie este item
(0 votos)

A decisão de deixar as siglas pelas quais foram eleitos para ocupar uma cadeira no Legislativo Municipal pode custar os mandatos de três vereadores. O presidente da mesa diretora da Câmara, Márcio Gonçalves “Hakuna”, além de Lacimar Cezário da Silva, mais conhecido como “Três”, e Iago Santiago, o Pranchana Jack, são alvos de ação por infidelidade partidária ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral - MPE.

Pré-candidato a deputado estadual, Hakuna trocou o PSD, comandado em Itaúna pelo prefeito Neider Moreira, pelo PSL, cuja maior liderança no Brasil atualmente é o presidenciável Jair Bolsonaro. Pranchana Jack deixou o PP para se filiar no Avante, enquanto “Três” saiu do PSL e foi para o Podemos.

Em conversa com o JORNAL S´PASSO na noite desta sexta- feira, 08, Marcinho afirmou que vai aguardar a notificação sobre o processo para falar sobre o assunto publicamente. “Fiz a mudança em fevereiro, por diversos motivos, ou seja, foi algo bastante estudado. Ainda não fui citado e sei que a partir desse procedimento, terei prazo para a defesa, que é de cinco dias. Então, estou me preparando e prefiro esperar”, comentou. Caso Hakuna perca o cargo, assume Warley Alves de Souza, mais conhecido como Warley Diskmoto.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, Pranchana Jack conta com uma carta de anuência assinada pela executiva nacional do PP, o que, se confirmado, deixa a situação mais favorável para ele. O suplente é Luciano Victor de Oliveira. Já o caso de “Três”, conforme apurado, tem relação com uma manobra feita pelo ex-dirigente do PSL em Minas Gerais, Carlos Alberto Pereira, que, prestes a perder a sigla, fez a desfiliação em massa e levou todos os nomes da agremiação para o Podemos.

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd