Oposição “escorrega” e Hudson Bernardes é eleito presidente da mesa diretora da Câmara

Descumprimento do Regimento Interno e Lei Orgânica tiram grupo contrário ao Executivo do páreo

Com apoio de oito dos 17 representantes da Câmara de Itaúna, o vereador Hudson Bernardes, atual líder do prefeito Neider Moreira na Casa, foi declarado presidente da mesa diretora para o biênio 2019/2020. O parlamentar, que está no segundo mandato, comandará o Legislativo nos próximos dois anos ao lado de Antônio José de Faria Júnior, o “Da Lua”, vice, e Lacimar Cezário, o “Três”, como secretário. A eleição foi realizada na tarde de segunda-feira, 19, em meio a um grande tumulto provocado pela ala oposicionista. Acordos “de última hora” e traições marcaram o pleito.

O fato é que a oposição registrou chapas. O primeiro a se inscrever na disputa pela presidência foi Alex Artur, o “Lequinho do Garcias”, numa composição com Silvano Gomes Pinheiro e Giordane Alberto. O outro grupo, encabeçado por Gláucia Santiago, tinha Giordane Alberto como vice, no lugar de Otacília Barbosa, anunciada como candidata na semana passada, e Márcia Cristina para a secretaria.

Portanto, o nome de Giordane Alberto figurava como candidato em dois grupos distintos, em desconformidade com o Regimento Interno. Com a sessão já iniciada, após a constatação de quórum, Lequinho tentou retirar a candidatura. No entanto, havia perdido o prazo, o que já serviria como fator para impugnação. E, além disso, Giordane, atual vice-presidente da Câmara, concorreria ao mesmo cargo que ocupa hoje, na composição com Gláucia e Márcia, o que também é vedado pela Lei Orgânica do Município.

Pleito é marcado por polêmica e traições

Conforme publicado pelo JORNAL S´PASSO, na edição de sábado, 17, Antônio de Miranda Silva e Márcia Cristina fecharam acordo com Hudson Bernardes, na segunda-feira, 12, para compor a chapa dele, respectivamente como vice e secretária. Os dois mudaram de ideia e decidiram voltar à ala oposicionista. Giordane também havia firmado compromisso com o bloco governista, mas, sondado pelo outro lado, acabou cedendo. A expectativa de Hudson, até a noite de sexta-feira, 16, quando conversou com a reportagem pela última vez antes da eleição, era de contar também com os votos de Alexandre Campos e Alex Artur, o “Lequinho do Garcias”, que haviam sinalizado apoio.

“Pranchana” confirma oferta de dinheiro

A disputa pela mesa diretora do Legislativo vinha “esquentando o clima” nos corredores da Casa. Ainda na semana passada, pouco antes da reunião ordinária de terça-feira, 13, a reportagem recebeu informações sobre “ataques” feitos por empresário a vereadores. O conhecido empreendedor “partiu para cima” de Lucimar Nunes, o “Lucinho”, e Giordane Alberto, que até então, havia desistido da composição de chapa com Alex Artur, o “Lequinho do Garcias”, para apoiar os candidatos da base. Informações são de que o homem de negócios afirmou que elegeria “Lequinho” presidente, a qualquer custo. Em meio à confusão, surgiram denúncias de oferta de somas consideráveis em dinheiro para parlamentares que decidiram apoiar o bloco governista mudarem de ideia. Um dos assediados, sediados, Iago Santiago, o “Pranchana Jack”, gravou o momento em que recebeu proposta de R$ 20 mil em troca do voto no vereador de Garcias. Durante a última sessão, na terça-feira, 20 ele confirmou a história em plenário e disse que os áudios já estão nas mãos de advogados. “Se existe um corruptor, não é da ala do prefeito não. E eu tenho provas”, chegou a declarar, no dia da eleição, segunda-feira, 19.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.