Sábado, 23 Junho 2018

O prefeito Neider Moreira assinou na manhã desta sexta- -feira, 15, o contrato para construção da sede própria do Centro de Referência Especializada de Assistência Social – Creas -, no bairro de Lourdes. A empresa responsável pela obra é a Sparta Empreendimentos Imobiliários Ltda que, já no próximo fim de semana, fará a medição do terreno para o início da execução do projeto. A previsão é que a edificação esteja concluída em seis meses.

O chefe do Executivo destacou a importância do empreendimento para a população itaunense. “Essa medida vai oferecer mais conforto e discrição aos usuários, além de mais qualidade aos técnicos que lá trabalham”, comentou.

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social - Creas - é um órgão público que atende famílias em situação de risco social ou tiveram os direitos violados. O secretário da pasta responsável pelo serviço, Élvio Marques, ressaltou que essa é uma grande conquista. “A administração não mediu esforços para a construção do Creas. Hoje é um dia para comemorar”, destacou o gestor.

A Gerência de Mobilidade Urbana anunciou a reprogramação dos tempos de semáforos em alguns trechos da área central da cidade. A medida é justificada pela necessidade de aumentar a fluidez do trânsito em diversos trechos. As mudanças, que passaram a vigorar nesta quinta-feira, 14, incluíram as ruas Zezé Lima, Dr. José Gonçalves e Antônio de Matos, na praça Dr. Augusto Gonçalves e avenida São João. De acordo com aplicativo de monitoramento, o tráfego está fluindo mais rápido em 3,35 minutos no Centro. A próxima etapa começará na próxima quarta-feira, dia 20, na Aurélio Campos, no bairro Piedade.

 

Foi realizado nesta sexta-feira, 15, o julgamento de Euler Andrade Rodrigues, preso desde 2016, sob a acusação de ser mandante e participante ativo no assassinato da esposa, Dênia Alves Silva Rodrigues, 48. Em uma sessão que durou mais de oito horas, Euler foi condenado a cumprir 19 anos e oito meses de prisão, em regime fechado.

Além da brutalidade envolvida na ação, o crime causou repercussão e revolta também pelo fato de a vítima ser bastante conhecida pelo trabalho desenvolvido como diretora em uma escola rural, da rede municipal de ensino. Após as investigações, a Polícia Civil apresentou o empresário Euler Rodrigues, como o principal suspeito de matar a mulher. Ele foi detido logo após o crime.

O crime

Dênia ficou desaparecida cerca de 20 horas e o corpo encontrado em uma picape, em uma estrada às margens da rodovia MG-050, no dia 29 de novembro de 2016. O próprio acusado deu queixa do sumiço da professora, relatando à Polícia Militar que chegou em casa e não a encontrou. Conforme o boletim de ocorrência registrado na época, algumas gavetas foram reviradas e R$ 20 mil guardados em um cofre haviam sumido. As buscas pela pedagoga mobilizaram pessoas em toda a cidade e rapidamente se espalharam pelas redes sociais.

Na manhã seguinte ao suposto sequestro, o caseiro de uma fazenda encontrou o veículo com o cadáver dentro. De acordo com laudos preliminares da perícia, a mulher foi esganada ainda em casa e o corpo levado até a rodovia. Não havia marcas de sangue no local. A vítima apresentava ainda marca de tiro na têmpora, queimadura no braço esquerdo e em parte do cabelo. Na caminhonete estavam um edredom e jornais com forte odor de gasolina.

Logo no início das apurações, a Polícia Civil descartou a possibilidade de latrocínio. Os indícios apontavam Euler como o principal suspeito. Segundo informações repassadas pelo delegado Diego Lopes à imprensa, as imagens de câmeras de segurança próximas a residência do casal mostraram que no horário relatado, nenhum estranho entrou no imóvel, apenas o marido. O delegado também disse na época que o carro de Euler havia entrado na residência às 18h40 e saído às 18h58, e às 19h31 a Saveiro da esposa deixou o imóvel.

A Polícia Civil ainda descobriu que no dia do crime o suspeito visitou vários locais, supostamente para criar álibis. Os delegados Diego e Wesley Amaral de Castro chegaram à conclusão de que Euler arquitetou o crime com algumas semanas de antecedência, se preocupando em garantir formas de ser retirado da cena do crime. Conforme apurado, ele esteve em Belo Horizonte, no sábado anterior ao dia do homicídio, para comprar a arma usada no disparo do tiro na cabeça de Dênia. Também adquiriu uma espécie de mistura, que não é encontrada no mercado, de diesel e gasolina, com a intenção de carbonizar o corpo da esposa.

Na comparação dos depoimentos do acusado e de pessoas próximas, as contradições na fala do marido ficaram nítidas para os investigadores. Ele alegava ter ótimo relacionamento com a mulher, quando na verdade, estavam em processo de separação. Além disso, a rotina do dia do assassinato não foi compatível com a vida do casal.

Em todos os depoimentos, Euler negou o crime, demonstrando frieza perante os relatos sobre a morte da esposa. O empresário teve ainda a ajuda de outra pessoa, que, segundo as suspeitas, entrou na residência junto, após ele retornar do supermercado. Esse envolvido teria ficado no local para montar a cena que simulou o latrocínio, e posteriormente saído no carro de Dênia com o corpo.

Também foi analisado um vídeo em que Euler alega que só assinaria o divórcio da esposa, caso ela entregasse a casa onde morava. O imóvel era o único bem que havia ficado com a pedagoga.

A transposição da linha férrea voltou à pauta em Itaúna, no último mês, após a empresa responsável pela manutenção da estrutura interromper o trânsito de veículos no cruzamento da rua Silva Jardim, onde há grande fluxo, sem qualquer tipo de aviso prévio aos motoristas. O trecho, principal itinerário do transporte coletivo, ficou um dia inteiro interditado, o que causou muitos transtornos para a população.

A questão já era discutida no Centro de Desenvolvimento Econômico e Socioambiental - CDE. Em 2018, o presidente da entidade, Maurício Gonçalves Nazaré, esteve na Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT -, e no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT -, em Brasília. Na capital do país, ele participou de reuniões acerca do assunto e cobrou um posicionamento em relação ao projeto para retirada dos trilhos do perímetro urbano. Maurício Nazaré também se encontrou com deputados federais, em busca de solução.

“As entidades entendem a importância do modal ferroviário para a região, pois, assim é transportada a nossa riqueza. Porém, cabe o bom senso, pois Itaúna cresceu, exigindo melhor projeção para locomoção e bem estar dos itaunenses e suas empresas, sendo a transposição da linha férrea, um passo muito importante para o pleno desenvolvimento de nossa cidade”, destacou

Há três anos, o CDE articula em todas as esferas de governo, a aprovação do projeto e início da obra, com o objetivo de dar fim às dificuldades enfrentadas por moradores da cidade e empresários devido à circulação dos trens dentro do município, principalmente na área central. Ainda segundo informações divulgadas nesta semana pela instituição, em 2015 foi destacado o cronograma de intervenções previsto para a malha ferroviária da região, abrangendo as cidades de Ibiá, Itaúna e Betim, nesta ordem. Porém, após as obras de Ibiá, Itaúna acabou sendo passada por Betim, por causa da grande representatividade política da cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte - RMBH.

Desde 2015, a Valor da Logística Integrada – VLI apresenta às entidades, anualmente, as atividades da empresa, referentes à transposição. Segundo Maurício Nazaré, o CDE se posiciona, argumentando que são muitos os problemas, como o aumento dos casos de suicídios, acidentes, além da perturbação devido à buzina da locomotiva, cada vez mais alta, afetando a vizinhança e, principalmente, os pacientes internados no Hospital Manoel Gonçalves.

Em reunião na quarta-feira, 06, no Edifício CDE, o analista de Comunicação e Relações Institucionais da VLI, Marcelo Quintino, apontou que o contrato da concessão da empresa termina em 2026. Mas, há uma proposta de repactuação e devolução de alguns trechos, para que haja viabilidade financeira através das multas geradas pelo processo. Esses recursos deverão ser utilizados para realizar obras como esta do contorno ferroviário de Itaúna, que tem orçamento previsto, com data de janeiro de 2016, na ordem de R$ 190.604.147,89.

“Nestes momentos, percebemos claramente a necessidade de união da classe política e da população itaunense. Temos que escolher um candidato com reais possibilidades de eleição, para temos um deputado estadual e um federal e, com isso, elevar o prestígio político de nossa cidade com os governos”, aponta Maurício Nazaré.

Transtornos

Além do incômodo à população, a passagem do trem na região central da cidade deixa o trânsito ainda mais complicado, afetando a rotina de muitas pessoas, que chegam atrasadas ao trabalho e à escola, ou perdem ônibus enquanto aguardam para conseguir atravessar os trilhos. Atualmente, os comboios chegam a passar até quatro vezes só no período da manhã, em alguns dias. Em 2017, houve pelo menos quatro ocasiões em que a locomotiva ficou parada por mais de 30 minutos, impedindo a circulação de pedestres e motoristas.

Promessa antiga e feita durante a campanha de Eugênio Pinto pelo primeiro mandato na Prefeitura, a transposição da linha férrea não “vingou”. E tornou o ex-prefeito o principal alvo de uma investigação da Polícia Federal sobre desvios de recursos destinados pela União à obra. Em 2013, a instituição denunciou um esquema de fraude em licitações direcionadas à realização do empreendimento em Itaúna. O golpe pode ter resultado num rombo de quase R$ 2,4 milhões. Ao todo, 73 pessoas foram ouvidas e 33 delas indiciadas. Entre os denunciados, secretários municipais e servidores ocupantes de outros cargos de menor escalão, à época, empresários e funcionários do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, além de Eugênio.

 A Polícia Federal gastou três anos de apurações e as conclusões estão num relatório de cerca sete mil páginas. A investigação foi deflagrada em 2010 e confirmou irregularidades praticadas pela administração petista ao contratar empresa para elaboração do projeto de remoção dos trilhos. Ao constatar as acusações, o delegado Benício Cabral, entregou o inquérito ao Ministério Público Federal. O ex-chefe do Executivo foi acusado de seis crimes, entre os quais, autorizar dispensa de licitação para contratação de consultoria, prorrogar e alterar contratos de maneira ilegal e prestar contas com atraso ou com informações insuficientes à Controladoria Geral da União – CGU.

Proprietários de veículos automotores com placas com finais de 1 a 5, que ainda não pagaram o IPVA, Seguro Obrigatório, Taxa de Licenciamento e multas, deste ano ou de exercícios anteriores, têm poucos dias para regularizar a situação. O prazo vai até 30 de junho e, a partir de 1º de julho, o condutor flagrado pelas autoridades sem a documentação exigida será acusado de infração gravíssima, que gera multa de R$ 293,47, além de sete pontos na Carteira de Habilitação, conforme previsto no Código de Trânsito Brasileiro.

Para alertar aos inadimplentes, a Secretaria de Estado da Fazenda – SEF - começou a enviar, nesta semana, mensagem de texto via telefone celular (SMS). Na página eletrônica do Departamento de Trânsito de Minas Gerais – Detran/ MG - é possível consultar todas as pendências.

Os contribuintes podem fazer o pagamento diretamente nos terminais de autoatendimento ou nos guichês dos bancos credenciados. Basta informar o número do Renavam. A emissão da guia de arrecadação pode ser feita pela página da SEF na internet e na repartição fazendária. Os juros e multas pelo atraso serão calculados automaticamente. Os agentes arrecadadores são o Banco do Brasil (Mais BB e Banco Postal), Bradesco, Sicoob, Mercantil do Brasil, Santander, Caixa Econômica Federal e Casas Lotéricas.

Para as placas de finais 6, 7, 8, 9 e 0, o prazo para obtenção do Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo – CRLV - de 2018 termina em 31 de julho. A partir de 1º de agosto, os motoristas que não portarem o documento regularizado estarão sujeitos às penalidades impostas pela legislação de trânsito.

Nesta época do ano, com o clima mais seco e frio, os condutores de veículos precisam redobrar a atenção nas estradas. No período de estiagem, que começa em junho e vai até outubro, as queimadas e a incidência de neblina prejudicam a visibilidade dos motoristas. E, os riscos gerados por esses dois fatores são tema de campanha iniciada pela concessionária MG-050 para alertar aos usuários da rodovia sobre o perigo.

A recomendação é de cautela principalmente durante a madrugada e nas primeiras horas da manhã, por causa da cerração. Em caso de fumaça na pista é essencial reduzir a velocidade, fechar os vidros do automóvel e manter distância segura de quem segue à frente. Também é importante não acionar o pisca alerta em movimento, para não confundir os demais. Pontas de cigarro jogadas na via sujam e poluem o Meio Ambiente, além de causar incêndios.

Se for detectado algum foco de queimada na MG-050, é possível acionar o 0800 282 0505 (opção 2), para que providências sejam tomadas. As ligações são gratuitas, inclusive para celular, e o serviço funciona 24 horas por dia

O governo federal anunciou na tarde de quarta-feira, 13, que a Campanha de Vacinação contra a Gripe terá continuidade até a próxima sexta-feira, 22. A mobilização terminaria, a princípio, em 1º de junho. Mas, a baixa adesão em grande parte dos municípios brasileiros, aliada à greve nacional dos caminhoneiros, fez com que o Ministério da Saúde ampliasse o prazo mais uma vez. Em todo o país, a imunização alcançou 77% do público-alvo. A meta estabelecida é de 90%.

De acordo com os números apresentados à reportagem nesta sexta-feira, 15, pelo Setor de Epidemiologia, Itaúna conseguiu bons resultados, mas, ainda não atingiu o percentual preconizado. A cobertura até o momento está em 85,64%. Foram aplicadas 15.172 doses, enquanto os grupos prioritários totalizam 17.738 pessoas. O menor índice ficou entre as crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos, 63,90%, seguido das gestantes, 75,43%. Foram vacinados 97,06% dos idosos; 91,87% das puérperas, que são as mulheres com até 45 dias do parto; 90,99% dos professores; 85,35% dos trabalhadores da Saúde. Entre os privados de liberdade e funcionários do sistema prisional, garantiram a imunização, respectivamente, 74,65% e 50,55%.

Público-alvo

Os idosos formam o grupo mais vulnerável a manifestar os sintomas da gripe. Por isso, qualquer pessoa com mais de 60 anos tem direito de se proteger gratuitamente, vacinando em qualquer unidade de saúde.

Crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos; gestantes; puérperas (mulheres que tiveram filhos há até 45 dias) e profissionais da área da Saúde também são vulneráveis às complicações da gripe. Por isso, integram os grupos prioritários que devem ser imunizados. As doses continuam disponíveis nos postos.

A inauguração da base regional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu – completou um ano com anúncio de novos investimentos para melhoria da assistência prestada aos moradores dos 54 municípios que fazem parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste – CIS-URG. Entre as novidades apresentadas pela diretoria do grupo está a disponibilização do medicamento Tenecteplase, de alto custo, para ajudar nos procedimentos em pacientes com diagnóstico de infarto agudo do miocárdio. O remédio pode ser administrado rapidamente, dentro da ambulância, sem necessidade de bomba de infusão e a perspectiva é de redução significativa de mortes em decorrência da doença.

De acordo com a diretoria do Samu, cerca de 40,50% dos óbitos são registrados na primeira hora de manifestação dos sintomas, enquanto 80% ocorrem em até um dia, o que reforça a importância da aquisição. Conforme as informações divulgadas, poucos hospitais na região oferecem o produto e a inclusão do mesmo nas unidades de suporte avançado permitirá que as pessoas infartadas sejam trombolizadas o mais rápido possível, evitando as complicações e, em muitos casos, a mortalidade.

A rede passa a contar também com ultrassom portátil, utilizado nas ambulâncias para os atendimentos de urgência e emergência e algumas intervenções invasivas. Segundo a direção do CIS-URG, mais de 30 cidades não têm ultrassonografia à disposição.

“Por exemplo, se a equipe detectou um infarto agudo do miocárdio, precisa pegar um acesso venoso e há possibilidade de os socorristas enfrentarem algumas dificuldades. O equipamento é de grande valia, juntamente com o monitor de parâmetro, para detectar algumas complicações e monitorar o paciente. Além disso, vai ajudar também nesses acidentes que ocorrem em rodovias, identificando hemorragias, ou nos casos de gestantes em situação de alto risco, se houver um sofrimento fetal, a imagem pode ser feita via sistema iOS, no tablete e transmitida para a central de regulação, onde o médico intervencionista já fará o diagnóstico e encaminhará para a porta mais adequada”, explicou a gerente de Enfermagem, Tamara Lesse, durante coletiva de imprensa.

Desde o início das operações, em 06 de junho de 2017, o Samu registrou 240 mil chamadas, totalizando o número de 20% de toda a população que compõe os 54 municípios integrantes do consórcio. De acordo com o levantamento apresentado durante as comemorações de um ano da regionalização foram realizadas 30 mil orientações por telefone e 42 mil saídas de unidade de atendimento efetivo, tanto de suporte avançado (16%), e suporte básico (84%). Em relação aos trotes, os números ainda são expressivos. Esse tipo de ligação representou uma média de 22% nos 12 meses. Com as campanhas de conscientização, o índice caiu para 8% neste mês.

Durante uma reunião ordinária da Câmara no mês passado, o vereador Giordane Alberto solicitou ao Executivo a construção de uma rampa de acesso ao imóvel onde funciona a unidade da Estratégia de Saúde da Família – ESF – do bairro Jadir Marinho, visando facilitar a entrada das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Em resposta à demanda, o líder do governo no Legislativo, Hudson Bernardes, já afirmou em plenário que o dispositivo não foi instalado porque os atendimentos serão transferidos para outro imóvel.

De acordo com a secretária-adjunta de Saúde, Vanésia Bernardes, o Município ainda está à procura de local que esteja em conformidade com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. A gestora adiantou que outros postos, além do Jadir Marinho, passarão a funcionar em novos endereços, que garantam acessibilidade e mais conforto para usuários dos serviços e funcionários, tendo em vista que alguns tiveram aumento no número de pacientes. 

Em conversa com a reportagem, moradores do Jadir Marinho demonstraram que estão insatisfeitos com a atuação da presidência da Associação Comunitária. De acordo com os relatos, há meses não são realizadas reuniões e falta maior engajamento da entidade nas questões referentes ao bairro, especialmente em relação à reforma da sede, que, para os entrevistados, poderia ter melhor aproveitamento, se recebesse algumas intervenções. 

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd