Segunda, 16 Julho 2018

Pelo segundo ano consecutivo, o clube Tropical recebeu uma rodada do Circuito Mineiro de Tênis, da série FMT 1000, número que sugere a pontuação conquistada por cada campeão do torneio no ranking estadual da modalidade.

A etapa, a primeira de 2018, foi disputada entre os dias 30 de maio e 03 de junho e obteve recorde de inscritos, 270 tenistas, de várias cidades, principalmente de Itaúna, que aproveitaram ao máximo a oportunidade de disputar o campeonato de alto nível em casa.

“Em primeiro lugar, comemoramos o número de inscrições. E num momento de crise, de greve e desabastecimento de combustíveis, ou seja, situações que criaram dificuldades para os jogadores. Mas apesar disso, tivemos uma participação incrível e partidas emocionantes”, destacou o presidente da Federação Mineira de Tênis, François Rahme.

No total, foram disputados jogos em 17 categorias, sendo 12 masculinas e cinco femininas. Entre os tenistas de Itaúna, os destaques foram Altamiro Júnior, campeão; Wilian Magalhães, campeão do 4ª classe; Samuel Campos, vice, da 6ª classe; Christian Pereira, segundo colocado na 5ª classe; Gabriel Carvalho, vice, da 2ª classe; Gabriel Carvalho, vice-campeão da categoria 2ª classe e duplas, além da Bianca Mendonça Bernardes, que embora não seja itaunense, é atleta do Tropical e venceu na 3ª classe.

O torneio da Série FMT 1000 é disputado em três etapas. A segunda será no Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, de 06 a 09 de setembro.

De acordo com resolução publicada no Diário Oficial de Minas Gerais, o cadastramento escolar para 2019 está previsto para o período de 11 a 22 de junho, pela internet (www.educacao.mg.gov.br), sem pagamento de taxa. Devem ser inscritos todos os candidatos a uma vaga no ensino fundamental, tanto na rede municipal quanto estadual, já que o processo é unificado. A medida é voltada também aos que pleiteiam uma cadeira no curso de Educação de Jovens e Adultos – EJA.

A solidariedade dá o tom de diversas campanhas em andamento na cidade para arrecadação de agasalhos destinados a famílias inteiras que não têm condições para se aquecer neste inverno. As temperaturas estão baixas e a tendência é de que caiam ainda mais nos próximos dias, com a chegada da estação mais fria do ano. Com isso, muitos grupos religiosos, instituições assistenciais e entidades de classe estão unidos em torno do objetivo de colaborar com essas pessoas. A mobilização visa angariar blusas, casacos, cobertores, entre outros itens, para distribuição nas comunidades carentes. Doar uma peça de roupa usada em bom estado pode ajudar a mudar a vida de muita gente nesta época.

Como colaborar

• Grupo Espírita Francisco de Assis - Gefa: Rua Bonfim, 109 - Bairro das Graças | Coletas às terças-feiras e domingos, a partir das 19h.

• Parceria TV Alterosa/Rotary/Polícia Militar: Rua Maria Lima Coutinho, 188 - Bairro das Graças | Coletas somente em dias úteis, das 09 às 17h.

• Tri Runners: Rua Jove Soares (Estacionamento Anglo, ao lado da Localiza) | Coletas às quartas-feiras, a partir das 19h15.

Celebrado em 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue visa despertar a sociedade para esse ato de solidariedade. E, aproveitando a data comemorativa, a direção do Hospital Manoel Gonçalves lançou campanha para incentivar o voluntariado nesse sentido, com o objetivo de garantir a reposição do estoque no banco local. De acordo com o comunicado da instituição, há necessidade urgente dos tipos O- e AB-. Os interessados em ajudar podem entrar em contato pelo telefone 3249-5329. A coleta é feita na unidade do Hemominas, em Divinópolis. A Casa de Caridade oferece transporte às sextas-feiras.

No dia 27 de maio, o maratonista Welintgon Miguel da Silva enfrentou duas grandes provas no Circuito Petrobrás Rei e Rainha do Mar, em Brasília. Na primeira, Lake Run, ele foi vice- -campeão entre pessoas com deficiência. A segunda, Lake Biathlon, prova com um quilô- metro de natação em águas abertas, no lago Paranoá, disputada por ele pela primeira vez, não conseguiu finalizar.

No domingo, 03, o paratleta venceu a Maratona Caixa Rio de Janeiro. Antes, Welington já havia garantido o primeiro lugar geral, na categoria para deficientes, em Florianópolis. Ele é um dos desportistas patrocinados por meio do Projeto de Apoio ao Atleta Itaunense.

Sobre a prova no Rio, Wellington destacou o nível de dificuldade e a necessidade de elaborar uma boa estratégia. “Deu certo com muito treino e disciplina. Nessa maratona é muito difícil chegar bem, mas com uma boa preparação, é possível. No ano passado, eu fiquei em segundo e em 2018, venci. A competição vem crescendo cada vez, com mais pessoas na disputa. O total de inscritos foi de 40 mil. Agradeço aos meus professores da academia. E também à Secretaria de Esportes e Lazer e ao Conselho Municipal de Esportes, por ajudarem as pessoas contempladas pelo Projeto de Apoio ao Atleta Itaunense a representar a cidade nos eventos”, comentou.

O empresário itaunense Maurício Nazaré tomou posse como vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas – FCDL – no Centro- -Oeste, para o mandato 2018/2020, ao lado de Frank Sinatra, reeleito para a presidência. A cerimônia foi realizada no Hotel Mercure, em Belo Horizonte, com as presenças de representantes de empreendedores de diversos segmentos, entre os quais, Guilherme Afif Domingos, que está à frente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae. O deputado federal Newton Cardoso Júnior também prestigiou a solenidade.

 Maurício Nazaré é presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL –, de Itaúna, e também do Centro de Desenvolvimento Econômico e Socioambiental – CDE. Ele também faz parte da nova diretoria da FCDL de Minas Gerais. “O nosso objetivo é desenvolver de forma integrada um trabalho onde possamos levar os êxitos obtidos na cidade para todas as entidades empresariais da região. Temos muitos casos de sucesso, que podem ser implantados em outras localidades”, afirma.

Em Itaúna, ele coordena trabalhos desenvolvidos pelas entidades de classe, como a faculdade a distância Uninter, que conta hoje com cerca de três mil alunos. Outra iniciativa que vem ganhando destaque é o projeto “CDL Bairros”, que consiste no fortalecimento dos pequenos e micro empresários, como forma de garantir suporte na busca pela sustentabilidade e desenvolvimento, viabilizando o aumento da geração de emprego e renda. Também está em andamento a capacitação de lideranças comunitárias, para ampliação das obras sociais.

Maurício Nazaré também foi um dos incentivadores do programa “Jovens Empreendedores”, que fomentou e ajudou na criação da comunidade de inovação e tecnologia “Libertas Valley”. Além disso, foram intensificadas as campanhas promocionais para aumento das vendas no comércio itaunense, a partir da valorização dos trabalhadores do segmento e de treinamentos.

A concessionária do Sistema MG-050/BR-265/BR-491 confirmou à reportagem, na terça- -feira, 05, que o pedágio ficará mais caro a partir da zero hora do dia 13 de junho. A notícia foi publicada com exclusividade pelo JORNAL S´PASSO, na edição de 26 de maio, quando os prognósticos apontavam uma tarifa de R$ 6,05, para carros “de passeio”, um aumento de R$ 0,25, já que o valor atual é de R$ 5,80, por praça. Na época, a empresa, por meio da assessoria de imprensa, informou que os cálculos para aplicação do reajuste estavam em andamento.

Em novo contato, nesta semana, este semanário apurou que o índice será de 1,72%, o que eleva a taxa para os automóveis, caminhonetes e furgões a R$ 5,90. Condutores de motocicletas, motonetas e bicicletas a motor pagarão R$ 3. Já nos casos de veículos maiores, como caminhonetes com semirreboque, ônibus e caminhões, a taxa variará de R$ 8,90 a 35,40, em conformidade com o número de eixos.

Os preparativos para a apresentação da nova tabela de preços foram concluídos em meio à manifestação dos caminhoneiros, que paralisaram as atividades em todo o estado, contra o preço do diesel. O alto custo do pedágio na MG-050 é motivo de muitos protestos dos usuários da rodovia, há tempos. Em 2018, o preço foi alterado duas vezes, uma delas, em janeiro, sendo barrado pelo governo de Minas Gerais, mas liberado pouco depois. Já em junho, houve mais uma majoração. O trecho administrado pelo grupo detentor da Parceria Público Privada com o Estado liga a vizinha cidade de Juatuba a São Sebastião do Paraíso, região Sul, na divisa com São Paulo

Depois de 11 dias do fim da greve nacional dos caminhoneiros, Itaúna ainda sente as consequências da paralisação. Até esta quinta-feira, 07, os motoristas ainda tiveram que enfrentar filas enormes nos postos de combustíveis para conseguir abastecer. Em conversa com a reportagem, o funcionário de um estabelecimento disse que a situação em relação à oferta dos produtos foi regularizada na tarde de anteontem.

No caso do gás de cozinha, a falta dos botijões no mercado deve persistir por um tempo. Em contato com o proprietário de uma distribuidora, a reportagem foi informada que não há condições de fazer estoque, porque a Petrobras não está fornecendo o item. “Estava melhorando, só que a estatal parou de bombear novamente e ninguém recebeu o insumo. Eu estou com oito caminhões na Supergasbras para carregar e até agora o carrossel não rodou. Para normalizar vai levar de 15 a 20 dias, mais ou menos”, explicou Petrônio Oliveira Lima Júnior.

 Inicialmente, os grevistas cobraram do governo federal redução no preço do diesel. Após o movimento tomar maiores proporções e ganhar o apoio de boa parte da população, de instituiItaúna ainda sente os reflexos da paralisação dos caminhoneiros Um dos efeitos no momento é a falta do gás de cozinha nas distribuidoras ções e empresários, a categoria começou a fazer outras reivindicações, entre elas o fim da cobrança de pedágio pelos eixos suspensos e o frete rodoviário tabelado.

O primeiro impacto da greve foi nos postos de combustíveis. Com receio do desabastecimento, motoristas se aglomeraram nos estabelecimentos, nos quais chegaram a ficar horas para conseguir encher os tanques. Na sequência, afetou o funcionamento das linhas de transporte coletivo, inclusive intermunicipais, com a redução de horários; colocou em alerta as unidades de saúde e provocou a falta de alimentos, principalmente hortifruti, em supermercados. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu - precisou mobilizar os municípios integrantes do consórcio ao empréstimo de diesel, para manter as ambulâncias em circulação. A Secretaria de Estado de Educação suspendeu as aulas em todas as escolas da rede e os Correios não conseguiram fazer a entrega das correspondências, causando atrasos no pagamento de boletos.

Impactos na economia

Conforme informações do Boletim do Banco Central, divulgado na segunda-feira, 04, outra consequência da paralisação é a pressão sobre os preços. A estimativa do mercado para o índice oficial de inflação – IPCA -, em 2018, passou de 3,6% para 3,65%. Para pagar a conta da redução do preço do diesel, o governo anunciou que serão retirados recursos de programas sociais, do Sistema Único de Saúde –SUS –, e da Educação.

Estado de alerta

Desde terça-feira, 05, lideran- ças de caminhoneiros estão ameaçando promover uma nova greve da categoria, caso o Palácio do Planalto recue na decisão de tabelar o frete rodoviário, antiga e maior reivindicação da categoria.

“Se essa tabela cair, vai ter uma greve pior que a última. E aí não vai ter negociação, pois eles vão querer provar para o mundo que são os fortes. Será uma grande revolta”, alertou Ivar Luiz Schmidt, do Comando Nacional do Transporte. Também seguiu na mesma linha o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros – Abcam, José da Fonseca Lopes. “Esperamos encontrar um denominador comum que não prejudique a classe. Caso contrário, podem esperar outra rebelião”, disse.

Conforme adiantou o JORNAL S´PASSO na edição de 26 de maio, a Ferguminas retomou as atividades em Itaúna. A princípio, a perspectiva da empresa era de iniciar as operações no dia 29, mas, em decorrência da paralisação nacional dos caminhoneiros não foi possí- vel cumprir o cronograma. Porém, nesta terça-feira, 05, após cerca de dez anos parada, a siderúrgica voltou a funcionar. Os prognósticos são de que o retorno da Ferguminas ao mercado crie aproximadamente 300 novos postos de trabalho para a cidade. No entanto, já é sinalizada a possibilidade de abertura de mais 200 vagas, caso seja ligado o segundo forno.

Uma matéria que causou muita polêmica entre os vereadores até ser colocada em votação e derrubada, ano passado, voltou à ordem do dia, durante a reunião da Câmara, desta terça-feira, 05. O projeto em questão, uma resolução da mesa diretora da Casa, visa regulamentar o provimento de cargos na estrutura organizacional do Legislativo. A medida prevê a extinção de sete postos comissionados, os chamados “de confiança”: assessor de vereador com necessidades especiais, de imprensa, jurídico, parlamentar, administrativo e de patrimônio; tesoureiro e chefe contábil. E, de acordo com o texto, se aprovada, passa a valer em 31 de dezembro de 2020. Otacília Barbosa pediu vistas.

Apresentada em plenário pela primeira vez em dezembro de 2017, a matéria foi rejeitada, com nove contrários, de Alexandre Campos; Márcia Cristina; Lacimar Cezário, o “Três”; Hudson Bernardes; Alex Artur, o “Lequinho do Garcias”; Lucimar Nunes Nogueira, o “Lucinho de Santanense”; Gleison Fernandes, o “Gleisinho”; Gláucia Santiago e Silvano Gomes Pinheiro “do Córrego do Soldado”. Sete parlamentares votaram a favor. Caso a proposta tivesse recebido o aval dos representantes da Câmara, haveria condições para o preenchimento de vagas nos setores afetados por servidores efetivos.

Na ocasião, o presidente da mesa diretora, Márcio Gonçalves “Hakuna”, fez um discurso entusiasta, depois de uma breve prestação de contas sobre a economia gerada com novas práticas de gestão, entre as quais, a moraliza- ção do uso dos veículos oficiais. Em relação ao projeto apresentado, “Hakuna” lembrou que os cargos citados são de origem técnica e que o Ministério Público recomendou a realização de concurso público para provimento dos mesmos.

Apesar dos argumentos, a velha política de negociações falou mais alto. Sem justificativas plausíveis a maioria utilizou como desculpa a possível interferência da Promotoria de Justiça no Legislativo. Alexandre Campos chegou a declarar que é tradição, bem aceita no meio, a troca de favores. “Estou falando isto, porque a democracia é muito importante. E este projeto é antidemocrático. Sabemos que a democracia funciona com a distribuição de cargos. Este discurso vai me gerar crítica perante a população itaunense. O povo quer mudança. Vossa Excelência está correta, só que este poder precisa de independência. E, por isso, meu voto é contrário”, discursou Campos, na época.

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd