Terça, 17 Julho 2018

Produtores não precisam mais ir a Belo Horizonte para realizar procedimentos burocráticos

 

A Sala da Cidadania está recadastrando todas as pessoas que possuem ou já tiveram imóvel na zona rural da cidade. Um estudo realizado este ano identificou registros em duplicidade, em vários polos do país, incluindo Itaúna. O município possui 48 mil hectares em terrenos fora da área urbana, mas estão cadastrados 52 mil.

 

A dualidade é configurada quando uma propriedade é vendida ou passada para o nome de outras pessoas, que, a partir daí, fazem novo cadastro, sem que os antigos donos cancelem o já existente. Com isso, pode ser gerado um Documento de Arrecadação do Simples Nacional – DAS - para esses indivíduos que não fizeram o procedimento e que, em inúmeros casos, acabam incluídos na lista de negativados.

 

Os serviços para solucionar esse tipo de pendência estão disponíveis na Sala da Cidadania, que funciona no Terminal Rodoviário, das 07 às 11h ou das 13 às 16 horas, de segunda a sexta-feira. Para esclarecimento de quaisquer dúvidas, os interessados podem entrar em contato pelo telefone 3242-1512 ou 9 9924-4669.

 

Atendimento ampliado

 

A Sala da Cidadania foi inaugurada em janeiro deste ano, visando facilitar o atendimento aos moradores da zona rural à recepção de Declaração para Cadastro de Imóvel Rural – DP; Certificado de Cadastro de Imóvel – CCIR; documentação para benefícios do INSS; informações diversas sobre os trâmites burocráticos para a regulamentação de atividades; entre outros que, antes, eram oferecidos somente na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra -, em Belo Horizonte.

 

A localização da unidade foi mais um fator que ampliou o acesso da população a esses serviços, tendo em vista que no ano passado o ponto de todas as linhas do transporte coletivo que atendem aos distritos e povoados foram transferidas para a Rodoviária.

 

A Sala da Cidadania é parte integrante do Programa de Atendimento ao Cidadão – PACi -, que tem como atribuição ampliar a assistência aos usuários do sistema. A proposta do Município, já encaminhada aos órgãos responsáveis, é transformar a unidade em uma agência regional do Incra.

 

A Prefeitura já trabalha com o incentivo à agricultura, distribuindo calcário e sementes, além de ceder máquinas para os cuidados do solo. Os resultados para o desenvolvimento econômico deste setor têm sido considerados positivos.

 

 

 

 

Município desenvolve ações para encaminhar pessoas em situação de rua às entidades assistenciais da cidade

 

Nos últimos anos, a grande circulação e permanência de andarilhos no entorno do Terminal Rodoviário intimidou usuários do transporte coletivo intermunicipal e municipal. Alguns relatos são de que as pessoas em situação de rua abordavam os transeuntes para pedir esmolas. E, quem negava dinheiro, chegava a ser agredido. Comerciantes também reclamavam de que os mendigos nas portas dos estabelecimentos afastavam os clientes.

 

Além do incômodo aos usuários dos serviços no local, havia o risco à saúde dos próprios andarilhos, por dormirem ao relento, até debaixo da ponte. Com a proposta de melhorar as condições dessa parcela da população, a Prefeitura montou uma força-tarefa socioassistencial, reunindo órgãos públicos e membros da sociedade civil organizada, para apresentar aos andarilhos os serviços disponíveis na cidade, como o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – Caps AD -, Centro de Atenção Psicossocial – Caps -, Centro de Referência de Assistência Social – Cras, Albergue Fraterno Bezerra de Menezes, comunidades terapêuticas, entre outros.

 

Em 2015, o Cras realizou um levantamento sobre as pessoas em situação de rua em Itaúna e identificou que boa parte possuía moradia, mas preferia ficar nas vias públicas por causa de desentendimentos com os familiares. Outro fator, que de acordo com o diagnóstico, contribui para a permanência dos andarilhos em pontos estratégicos é a esmola, usada por muitos para a compra de entorpecentes e bebidas alcoólicas.

 

Na última visita à região da Rodoviária, a equipe do S’PASSO BAIRRO A BAIRRO se deparou com pelo menos 15 mendigos no entorno, na parte da tarde. Alguns aparentavam fazer uso de drogas no estacionamento, outros pediam dinheiro aos que passavam. Havia gente também em frente às lojas e lanchonetes ou em barracas montadas às margens do rio São João.

 

Nesta semana, nenhuma pessoa em situação de rua foi vista transitando pelo entorno do terminal no mesmo período e nem foram encontrados vestígios de acampamentos na região. No entanto, à noite pelo menos três dormem na calçada em frente a um restaurante, já no final do bairro Santiago.

Crianças a partir de sete anos e adultos de todas as idades podem se inscrever no curso de Informática Básica oferecido pelo Telecentro Silésia Antunes Rinco, no Centro Social Urbano. As inscrições são de graça e podem ser feitas na unidade que fica na rua Mozart Machado, 500, bairro de Lourdes.

 

Para se inscrever é necessário apresentar um documento original com foto. As aulas não têm custo e são oferecidas duas vezes por semana em turmas de até 10 alunos. Para o instrutor, Marcel Feliphe, a quantidade limitada de pessoas em sala favorece o aprendizado. “O objetivo é promover a capacitação profissional de maneira humanizada, oferecendo uma assistência especializada durante o curso, de maneira que o orientador tenha condições de dedicar mais atenção a todos os alunos”, explicou.

 

A capacitação terá duração de até seis meses. Os participantes ganham certificado ao final do ciclo. As aulas são oferecidas de segunda a sexta- -feira, das 07h às 13 horas. Mais informações pelo telefone 3242 - 7192 e 3242 - 8289.

De 31 de maio, feriado de Corpus Christi, até 03 de junho, Itaúna se tornará palco do maior festival de dança do estado: o Unidance, que depois de 18 edições realizadas em Divinópolis, aporta na cidade, com uma intensa programação. Durante quatro noites, o público poderá assistir às performances de 46 grupos, compostos por cerca de 816 bailarinos, de diversas cidades de Minas Gerais e de Goiânia, em Goiás. A mostra será realizada no Grande Teatro da Universidade.

 

Para a abertura, na quinta-feira, a partir das 19 horas, estão previstas apresentações de dança moderna e popular, além de sapateado americano. A sexta-feira, 1º, está reservada para o estilo livre e o jazz, enquanto o balé, clássico e contemporâneo, ficará em destaque na programação de sábado, 02, e domingo, 03. O corpo de jurados contará com oito personalidades de renome no segmento em todo o país.

“A Sedução das Palavras” é a 16ª produção da autora, que apresenta vários contos e crônicas

 

A escritora itaunense Maria Lúcia Mendes lança no dia 08 de junho, às 19h30, no Espaço Cultural, o seu novo livro “Sedução das Palavras”, de contos e crônicas. Esta é a 16ª obra da autora, destaque em vários concursos literários, entre eles na Academia Mineira de Letras e na Feira Literária de Paraty, no Rio de Janeiro.

 

Maria Lúcia Mendes começou a atuar no Magistério com apenas 18 anos, em classes do ensino fundamental. Posteriormente lecionou por vários anos nos cursos de Letras e Pedagogia da Universidade de Itaúna, onde também exerceu o cargo de redatora, na Diretoria de Pesquisa e Extensão. Por 11 anos dirigiu o Museu Municipal Francisco Manoel Franco e desenvolveu vários projetos culturais. A escritora integra a Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais, a Divinopolitana e a Itaunense, da qual é presidente emérita.

 

Em 1983, teve a primeira obra publicada, o livro “Recado em Pedras e Pétalas”. O estilo simples, e o cotidiano visto de modo singular, rendeu à escritora grande êxito, fazendo com que se tornasse uma referência para os itaunenses na literatura. Ela recebeu prêmios em concursos de âmbito nacional. O romance “O Cheiro da Maçã”, publicado em 1996, obteve o primeiro lugar na União Brasileira de Escritores – Rio de Janeiro, ocasião em que a autora recebeu a premiação conferida na Academia Brasileira de Letras.

Médico cardiologista, professor, secretário de Assistência Social, colunista e agora escritor. Élvio Marques da Silva lançou no último dia 11, o primeiro livro, intitulado “O médico que virou paciente”. A iniciativa de criar a obra surgiu após ele, que sempre cuidou das pessoas, se ver no lugar delas, devido a problemas de saúde.

 

“A ideia veio em 2015, quando fui submetido à cirurgia de correção de hérnia de disco, em Belo Horizonte. [...] Foi uma experiência marcante e cheia de novos fatos e intercorrências. [...] De médico, virar paciente foi uma experiência ímpar e diferenciada. Isso me levou a refletir a vida do paciente e também do médico. Posso dizer que amadureci muito e passei a ver as coisas de outro modo. Então resolvi escrever um livro para passar a minha experiência a outras pessoas”, contou o autor.

 

Segundo Élvio, o processo de produção foi rápido. A obra fluiu bem, ele utilizou os dois meses em que ficou convalescendo para trabalhar no projeto, concluído dentro do período de um ano.

 

O autor diz que os leitores podem esperar de tudo. “O livreto contém um pouco da história de minha família, dos tempos da juventude, da opção por ser médico. Falo um pouco de minhas dúvidas em operar ou não, e este espaço durou mais de dez anos. Vocês verão um cardiologista diferente, irreverente e cheio de dúvidas...Uma história real com pitadas de sofrimento e alegrias, assim como é a vida!”, comentou.

 

Apesar de ainda estar colhendo os frutos deste primeiro trabalho literário, Élvio já está empenhado com o segundo livro.

 

“Gosto muito de escrever, mais que um lazer, hoje é um prazer e as ideias surgem naturalmente. Estou terminando outra obra. Agora, com um tema diferente, com o provisório ‘Como cuidar bem de seu coração’, escrita a quatro mãos, com minha quase noiva, uma visão do médico e de uma enfermeira”, relatou.

 

“O médio que virou paciente” está à venda no Retiro Santa Helena, na casa de acolhimento ao idoso do Centro de Recuperação e Assistência Social Integrada - Crasi - e na Banca Cultural da Praça da Matriz. O exemplar custa R$ 20 e toda a renda obtida será revertida para duas entidades, que desempenham um trabalho importante na cidade.

 

“Resolvi doar toda a renda para duas instituições, dentre outras que fazem um trabalho exemplar em Itaúna, o asilo do Crasi, no bairro Jadir Marinho, que abriga 50 pessoas, e as Obras Sociais do Padre Geovane, que dispensa comentários e a quem desde adolescente admiro como pastor e mestre. Agradeço a oportunidade e peço que ajudem nossas entidades de Assistência Social em Itaúna”, concluiu.

A direção da Casa de Caridade Manoel Gonçalves realizou, na manhã desta quarta-feira, 23, solenidade para a entrega das obras da nova Sala Vermelha do Pronto Socorro. A unidade é destinada ao atendimento de pacientes em situação de urgência e emergência, classificados pelo Protocolo de Manchester.

 

No local, são feitos os primeiros socorros, para estabilização do quadro ou encaminhamento para outros serviços, dentro da instituição. Em alguns casos, dependendo da complexidade, a pessoa é encaminhada a outras cidades, que fazem parte da Rede de Resposta. Participaram da cerimônia de inauguração a provedora do Hospital, Marilda Chaves, o tesoureiro, Francisco Mourão, o diretor administrativo, Antônio Guerra, membros do corpo clínico, da coordenação do Plantão 24 Horas e da equipe de enfermagem.

A pedagoga Caroline Arcari estará em Itaúna na próxima segunda-feira, 28, para ministrar capacitação sobre enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes. O seminário, voltado principalmente aos profissionais das áreas da Saúde, Assistência Social e Educação, terá início às 08 horas e entrada gratuita.

 

Consultora técnica do programa “Encontro com Fátima Bernardes”, da Rede Globo, Caroline Arcari é graduada no Centro de Sexologia de Brasília – Cesex – e mestre pela Universidade Estadual Paulista – Unesp. Fundadora e presidente do Instituto Cores, a maior plataforma de cursos à distância sobre sexualidade e educação sexual, é palestrante convidada de importantes congressos nacionais e internacionais na área. A instituição já formou mais de 20 mil educadores. Os projetos desenvolvidos, premiados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef, Fundação Abrinq e Save the Children, já beneficiaram pelo menos 250 mil estudantes desde 2006.

Os problemas causados pelos atrasos do governo de Minas Gerais em repassar recursos para a manutenção de serviços prestados à população têm se multiplicado. Desde 2017, os municípios mineiros vivenciam uma crise, agravada a partir de setembro, devido ao descumprimento dos compromissos do Estado com os mais diversos setores. Nesta semana, foi tornada pública uma situação que atinge agora os usuários da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Apae -, mantenedora do Instituto Santa Mônica. A instituição abriga na cidade 17 portadores de deficiências, em duas unidades do programa denominado “Casa Lar”. E, não tem dinheiro para garantia dos cuidados básicos com alimentação e saúde dos internos.

 

A presidente da Apae em Itaúna, Geórgia Chaves Mendonça, declarou que a entidade não tem recursos para o pagamento de fornecedores. Os salários dos funcionários também estão atrasados. De acordo com a colaboradora e mãe social Rosângela Maria de Santana, já foram feitos cortes drásticos nos gastos com as refeições e há dificuldades também para a compra de alguns medicamentos que não são fornecidos por meio do Sistema Único de Saúde – SUS.

 

A parcela atrasada, de abril, é de R$ 96 mil. Em nota, o Executivo estadual afirmou que a regularização dos repasses está entre as prioridades e que pretende regularizar os depósitos o mais breve possível. Mas, não informou um prazo para a quitação. Em Minas Gerais há 46 unidades da Casa Lar, com 342 pessoas abrigadas. Até o fechamento desta edição, nenhuma delas havia recebido os valores referentes ao mês passado.

Desde 10 de maio, o cadastro eleitoral está fechado para as eleições de outubro. A maioria dos serviços fica suspensa, como o alistamento, atualização de informações, transferência e regularização. A segunda via do documento exigido para a votação, sem alteração de dados, pode ser emitida até 27 de setembro, além de estar disponível no aplicativo e-Título.

 

O eleitor também pode solicitar a emissão de multas que estiverem pendentes para pagamento e a emissão de certidões de quitação, de crime, e de filiação partidária. Os requerimentos também podem ser feitos via internet, na página do Tribunal Regional Eleitoral - TRE.

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd